Chamada

CHAMADA

1ª Conferência Internacional sobre a Filosofia da Paisagem, Pensar a Paisagem no Antropoceno,

promovida pelo Centro de Filosofia da Universidade de Lisboa (CFUL) e a Fundação para a Ciência e a Tecnologia (FCT), tendo lugar na Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa entre 6 e 8 de Novembro 2019.

A Conferência Internacional sobre a Filosofia da Paisagem oferece-se como um lugar para pensar em conjunto sobre a Filosofia da Paisagem enquanto disciplina dialogante e interdisciplinar.

Convidamos, assim, palestrantes que contribuam para pensar a paisagem e que pretendam confrontar-se com os seguintes campos temáticos:

Teoria da Paisagem, Estética da Paisagem, Ética da Paisagem, Metafísica da Paisagem, Antropologia da Paisagem, Arquitectura da Paisagem e Política da Paisagem.

Pensar a Paisagem no Antropoceno

Desde o início do novo milénio, a paisagem encontra-se cada vez mais, como conceito e tema, nos mais diversos ramos do saber. Já não se trata apenas de um uso poético, artístico, geográfico ou arquitectónico do conceito, mas de uma expansão de considerações que no seu todo podem ser compreendidos como um abrangente pensar da paisagem.

O conceito de paisagem, que na história do Ocidente é primeiramente percebido por meio da pintura paisagista, e que é reivindicado por esta durante séculos, recebe no decorrer da industrialização e da formação do capitalismo como ideologia dominante um significado mais englobante.

Com a noção crescente de destruição das aparências naturais e dos espaços vitais de outras formas de vida, através do progresso industrial e técnico, o cuidado pela paisagem, compreendido como um cuidado pela natureza, torna-se o centro dos movimentos de protecção da natureza e da protecção ambiental emergente. Simultaneamente, o conceito de paisagem como metáfora de uma relação moderna com o mundo, de uma moderna imagem do mundo, é acolhido na filosofia e surge no decorrer do século XX cada vez mais como um significante conceito filosófico.

A Filosofia da Paisagem abre um campo em que se cruzam aspectos e métodos teóricos, estéticos, éticos, metafísicos, antropológicos, arquitectónicos e políticos que oferecem uma perspectiva sobre um actual e futuro cuidado pela Terra como uma biosfera até agora única e sempre singular.

O conceito de paisagem é o ponto de partida de uma nova disciplina filosófica designada por Filosofia da Paisagem, que é aqui compreendida como um contributo para desconstruir o antropocentrismo sustentado no Antropoceno, isto é, desprendê-lo da sua dinâmica catastrófica e abri-lo para outras necessidades.

Mais informações em: https://philosophyoflandscape.com/

Chamada: Janeiro 2019

Envio de Resumos (entre 1200-1600 palavras em português ou inglês) até 1 de Maio 2019 para philosophyoflandscape[at]gmail.com, junto com um currículo breve de 20 linhas.

Avaliação até 1 de Junho 2019

CALL

1st International Conference of Philosophy of Landscape, Thinking Landscape in the Anthropocene,

promoted by the Center of Philosophy of the University of Lisbon (CFUL) and the National Portuguese Foundation for Science and Technology (FCT) taking place at the School of Arts and Humanities of the University of Lisbon, 6-8 November, 2019.

The international conference on Philosophy of Landscape offers a place to think together on Philosophy of the Landscape as a dialogic and interdisciplinary discipline. We invite therefore speakers who propose to reflect on landscape and who pretend to tackle the following thematic fields:

Theory of Landscape, Aesthetics of Landscape, Ethics of Landscape, Metaphysics of Landscape, Anthropology of Landscape, Architecture of Landscape, Politics of Landscape.

Thinking Landscape in the Anthropocene

Since the onset of the new millennium, landscape, as a concept and theme, is increasingly present in the most diverse fields of knowledge. It is not just a matter of a poetic, artistic, geographical or architectonic use of the concept, but a growth of considerations, that in their whole may be understood as a broad reflection on landscape.

The concept of landscape, that in western history was firstly understood through landscape painting, being claimed by it for centuries, receives a more encompassing meaning in the course of industrialisation and formation of capitalism as a dominant ideology.

With the growing notion of the destruction of natural appearances and vital spaces of other life-forms, by means of the industrial and technical progress, the care for the landscape, understood as a care for nature, becomes the centre of emerging nature conservation and environmental protection movements. Concurrently, the concept of landscape as metaphor for a modern relation with the world, for a modern image of the world, is well-received in philosophy and is increasingly seen throughout the 20th century as a significant philosophical concept.

The Philosophy of Landscape opens a field where theoretical, aesthetical, ethical, metaphysical, anthropological, architectonic and political aspects and methods cross each other, offering a perspective on the actual and future care for the Earth as a biosphere until now unique and always singular.

The concept of landscape is the starting point of a new philosophical discipline designated as Philosophy of the Landscape, here understood as a contribution to deconstructing the anthropocentrism sustained in the Anthropocene, that is, to release it from its catastrophic dynamic and open it to other needs.

More information on: https://philosophyoflandscape.com/

Call: January 2019

Extended abstracts (between 1200-1600 words in Portuguese or English) until 1st  of May, 2019 @ philosophyoflandscape[at]gmail.com, together with a short curriculum of 20 lines.

Evaluation until 1st  of June, 2019